41 3233-8809 e 41 99945-8998 | R. Conselheiro Laurindo, 459 – 11° andar – sala 112 secretaria@sinfranco.org.br

Preocupados com o anuncio do Mercado Livre, de que irá começar a centralizar seus envios em logística própria, impactando assim a realidade das Franquias de Correios, o Sinfranco procurou a ECT para saber quais são as ações podem ser tomadas afim de minimizar o impacto.
O tema foi abordado em reunião com a área comercial da SE do Paraná, que enfatizou a necessidade de as franquias intensificarem seus esforços no convencimento dos clientes para voltar a realizar postagens em seus contratos.
Diante do cenário exposto, ficou acordado que o Sinfranco irá elaborar um material didático para distribuir a rede, com explicações e argumentos que podem ser utilizados nesse momento, frente a fuga de clientes que se aproxima com o serviço de coletas e centralização de cargas anunciado pelo Mercado Livre.
Além disso, o sindicato estuda firmar parceria com agências digitais especializadas em e-commerces, para junto com os franqueados interessados focar os esforços em melhorias dos sites próprios dos clientes e até mesmo para auxílio na divulgação de seus produtos, diminuindo assim a dependência de marketplaces.
Um dos argumentos que mais chamaram atenção dos representantes do sindicato no encontro foi que as postagens do Mercado Livre correspondem em média a 50% das encomendas operacionalizadas pela rede franqueada. Sendo assim o impacto deve ser sentido muito brevemente com esse movimento que o Mercado Livre pretende iniciar.
Tão logo os materiais didáticos estejam prontos e as parcerias com as agências digitais firmadas os franqueados de todo o Estado devem ser comunicados sobre as possibilidades de trabalho.
No entanto, mesmo sem o material de apoio pronto, alguns pontos já devem ser observados entre os comerciais das AGFS para tentar interromper a fuga de clientes. Vale lembrar que muito embora as postagens sejam mais em conta nos contratos dos grandes marketplaces, o vendedor fica refém das políticas de vendas dos mesmos, além de deixar uma alta porcentagem sobre a venda de seus produtos aos sites de venda.
Assim sendo, tanto Sinfranco como a ECT salientam que esse é o momento de redobrar esforços. Em Curitiba, onde será instalado o barracão do Mercado Livre, os ACONS estão orientados a entrar em contato com as AGFS para marcar visita aos clientes e explicar as vantagens dos contratos próprios.